AlimentaçãoConsumo

Aprender a cozinhar pode ser o primeiro passo para uma vida mais sustentável

Quando pensamos em ter uma vida mais sustentável, pensamos em desapego, minimalismo, reciclagem, políticas ambientais, projetos, pequenas e grandes ações. Pensamos em repaginar toda a nossa vida e dentro disso está o quesito: Mudança de hábito. Uma vida mais sustentável exige novos hábitos desde a forma de pensar até chegar na prática de qualquer ideia que tenhamos em mente.

E dentro desse giro, de todos os hábitos que temos, o de cozinhar é um dos que pode nos inspirar a mudar também outros hábitos e estabelecer um solo ideal e mais firme para uma caminhada rumo a uma vida profundamente conectada ao meio ambiente.

Imagem: Creative Commons

Colocar tal hábito em prática de maneira organizada, criativa, consciente e leve, transforma a rotina, mexe com a saúde do corpo, com a parte das finanças familiares, cria uma gestão diferente do tempo, altera o modelo de consumo e isso, certamente atinge o meio ambiente. A cozinha traz um espaço incrível para exercitar ideias e também para medir nosso nível de consciência e cuidado ao espaço Terra que habitamos.

O que cozinhar nos traz de lição, afinal?


Quando há interesse, certamente há êxito

Já diz a frase: aquilo em que colocamos atenção, cresce! Então, se a sua meta de aprender a cozinhar tem entusiasmo e ânimo, vai acontecer.

Eis a lição da força semente! Na natureza tudo nasce de dentro para fora e ganha proporção, cor, fluidez, flor, fruto, transformando o cenário. Conosco é a mesma coisa. Mover-se antes por dentro é premissa básica.

Gestão do tempo com qualidade e leveza é certeira!

Imagem: Creative Commons

Se a proposta é cozinhar, será preciso reduzir tempo do “não útil” e colocá-lo a favor do útil e benéfico. Já pensou em desligar a TV por algumas horas, sair do celular e do computador e passar um tempo em sua cozinha?  Vai notar que dá tempo sim, que dá certo e que principalmente dá o retorno ao hábito do fazer, do trabalhar com as mãos, com a própria arte criativa que contemos. Arte criativa que move o artesanal, o orgânico do mundo! Além disso, você economiza na luz (menos TV, menos computador, mais presença livre e natural).

Eis a lição do tempo certo de cada coisa, da beleza do detalhe. Na natureza nada é antes e nem depois, mas no momento preciso, exato e sem inutilidade. Tudo que a natureza produz é necessário e tem uma bela característica, se olharmos bem.

Menos custo, menos consumo, menos lixo

Cozinhar pode te garantir marmitas deliciosas e não filas imensas de restaurantes, caso sua empresa tenha um local para esquentar e degustar sua preparação. Além disso, ter sua marmita evita que aquele monte de embalagem de comida pronta, se crie e saia poluindo os espaços. Já viram quanto lixo uma refeição que é pedida pelo telefone, produz? Repare bem. Se o restaurante que você pede comida ou frequenta não tem esse olhar mais “eco”, é bom repensar. Financiar aquele monte de desperdício de alimentos e uma imensa quantidade de lixo, não é uma boa pedida.

Imagem: Creative Commons

Cozinhar consciente te move a comprar o necessário, sem tanta embalagem de isopor, levar sua sacolinha ecológica, aproveitar alimentos da época, garantindo a redução de lixo e o uso integral dos alimentos. Se despeça de vez, de tanta embalagem de pré-prontos! Além disso, ter uma refeição com comida de verdade e compartilhá-la com a família, não tem preço!

Eis a lição do senso de medida que a natureza tem consigo e de sua autenticidade. A natureza nos oferece o suficiente e tem consigo a força da verdade. Cada elemento é o que é, e sabe bem como se mover. Vale para a gente: Ter o cuidado com o consumo, lembrando que somos tutores e não donos do planeta. Mover-se dentro dessa consciência, garante um ajuste melhor de nossa presença por aqui. Criamos o hábito de não alimentar práticas não sustentáveis.

Reeducação das empresas e dos produtores

Quando aprendemos a medir nosso consumo, a prestar atenção nas políticas ambientais das empresas e marcas que costumamos utilizar e principalmente quando questionamos tais empresas, exercitamos cidadania. Se determinada empresa não promove práticas sustentáveis, clientes conscientes não compram e, portanto, ou ela se reeduca ou não atinge suas metas. Cozinhar nos ensina que o consumidor é que promove o tipo de consumo que existe e não o contrário.

Imagem: Creative Commons

Eis a lição da adaptação que a natureza traz consigo! Já viram flores nascendo no asfalto? A água contornando a pedra? É a mesma coisa. A urbanização estabelece o concreto, mas a natureza estabelece com uma força sutil maravilhosa, sua decisão de existir saudável mesmo que façam parece impossível. Seres orgânicos tornam empresas orgânicas.

Saúde física, mental, prática de empatia e respeito

Imagem: Autoridade Fitness

Não é segredo que se alimentar com o feito em casa tem outro sabor, outra energia; Claro, que é preciso que a comida seja boa, composta por itens saudáveis e feita com dedicação. Quando aprendemos a cozinhar consciente, compreendemos que existe toda uma cadeia de produção até aquele alimento se estabelecer em nossa mesa.

Diante do que vamos aprendendo, tanto de técnicas de uso integral de alimentos quanto de modos de produção, seremos capazes de criar pensamentos mais objetivos e esclarecedores sobre o que é de fato, praticar sustentabilidade, além das bonitas teorias. Teremos uma mente realista e saudável.

Com uma boa alimentação, o corpo funciona bem e com doses de empatia e respeito a cada ser senciente que conosco divide o planeta, fica melhor ainda! Eis a, lição de amor que a natureza traz consigo!

Menos dependência de sistemas e pessoas

Uma vida sustentável envolve autonomia, diferente de individualismo. Cozinhar consciente vai nos mover a plantar mesmo que seja na cantoneira! A criar com o que temos e a compartilhar. Não ficaremos mais presos a marcas, a um sistema que degrada o meio e também vidas. O produtor local ganha com isso e nós aprendemos a “nos virar”. Ser sustentável é saber se manter e estar disposto a fazer, criar, cuidar e não apenas receber e esperar que algo ou alguém nos dê o sabor da vida!

Eis a lição do crescer que exista na natureza. Ela embeleza os espaços disponíveis e ainda que não aparente, está sempre em movimento.

Imagem: Creative Commons

Por fim, este é o último post do ano e as festas logo chegam. Aproveite e faça sua ceia com elementos de simplicidade, elementos de época, use e abuse da criatividade! Prepare os alimentos integralmente, compartilhe, vivencie um momento novo, se ainda não sabe cozinhar.

E se você já sabe, que tal sair do mais do mesmo e reduzir, reutilizar e se reinventar mais “orgânico”? Se existe uma meta incrível para o novo dia, mês ou ano, tal meta é aprender a cozinhar! Meta libertadora e nutridora nos mais diversos aspectos. Sucesso!

 

 

 

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *