SaúdeSemana Temática

Combate ao Aedes Aegypti: dicas para prevenção e controle da Dengue, Chikungunya e Zika

A Organização Mundial da Saúde (OMS) listou a Dengue entre os 10 principais “inimigos” da saúde para o ano de 2019. Nesta lista estão problemas como poluição do ar, Ebola, Pandemia de Influenza, HIV e movimento antivacina.

Quase que anualmente vemos nos noticiários surtos da doença, com grande número de notificações de casos, principalmente nas estações do ano mais chuvosas. Por essa e outras razões, a dengue já é tratada no Brasil como um dos principais problemas de saúde pública.

O Brasil, por ser um país tropical, fornece as condições ideais para o desenvolvimento e a proliferação do mosquito vetor, o Aedes Aegypti, que transmite além da Dengue, a Zika e a Chikungunya. A doença Dengue está relacionada com os chamados macrofatores (ambientais, socioeconômicos, políticos e sociais) e os microfatores (dependentes das características biológicas do vírus, do vetor e da pessoa afeitada).

Embora pareça pouco agressiva, a doença pode evoluir para a dengue hemorrágica e a síndrome do choque da dengue, caracterizadas por sangramento e queda de pressão arterial, o que eleva o risco de morte.

Não existem vacinas disponíveis pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para o tratamento da Dengue. Por isto, a principal ação que a população tem é se informar, se conscientizar. Evitar água parada em qualquer local em que ela possa se acumular, em qualquer época do ano. Vale lembrar que o mosquito coloca seus ovos em água limpa, mas não necessariamente potável.

O que a população deve fazer para combater o mosquito Aedes Aegypti?

Para quem mora em casa pode começar pela área externa:

  • Manter bem tampadas cisternas e caixas d’água;
  • Lavar semanalmente com água e sabão tanques utilizados para armazenar água e mantê-los tampados;
  • Garrafas e baldes vazios e com a boca virada para baixo;
  • Colocar areia nos cacos de vidro de muros ou cimento;
  • Remover galhos e folhas de calhas, mantendo-as totalmente limpas;
  • Piscinas e fontes tratadas e se possível, tampadas;
  • Acondicionar pneus em locais cobertos;
  • Lonas para cobrir materiais de construção devem estar sempre bem esticadas para não acumular água;
  • Encher pratinhos de vasos com areia até a borda ou lavá-los uma vez por semana. A areia conserva a umidade e ao mesmo tempo evita que o prato se torne um criadouro de mosquitos.

Já nos ambientes internos de casa ou apartamentos:

  • Tampar ralos;
  • Lavar regularmente a vasilha de água do seu bicho de estimação;
  • Vasos sanitários com caixa acoplada devem ser tampados e verificados semanalmente;
  • Limpar sempre a coletora de água do ar-condicionado;
  • E por fim, seja consciente com seu lixo. Não despeje lixo em valas, valetas, margens de córregos e riachos. Assim você garante que eles ficarão desobstruídos, evitando acúmulo e até mesmo enchentes. Em casa, deixe as latas de lixo sempre bem tampadas.

Com informações de: Ministério da Saúde

 

 

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *