ConsumoMeio AmbienteUrbanidade

Dia Mundial da Reciclagem – Visitando Centro de Reciclagem

O dia 17 de maio é conhecido como Dia Mundial da Reciclagem. A data, instituída pela UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência, e a Cultura, é um convite à reflexão sobre nossa relação com o consumo e com os impactos desse nosso modo de vida sobre o meio ambiente e as relações sociais.

Imagem: Creative Commons

A Reciclagem é um dos 7 R’s da sustentabilidade (para ler sobre o assunto, clique aqui), juntamente com Repensar, Recusar, Reduzir, Reparar, Reintegrar e Reutilizar, e faz parte do processo de educação ambiental (para sustentabilidade) que tem como propósito a mudança de hábitos em nosso cotidiano para que possamos garantir um futuro mais sustentável para o planeta e, consequentemente, para nós.

Por isso, é necessário repensar e ressignificar o ato de consumir e avaliar como a empresa responsável pelo produto que se deseja consumir vem agindo em relação a todo o clico de vida do produto, desde a extração da matéria-prima até o pós-venda do produto, onde a logística reversa representa ponto de grande importância.

Nós consumidores possuímos um papel decisivo e de extrema relevância: exigir que as empresas das quais consumimos estejam cada vez mais voltadas para questões socio-ambientais apresentando soluções para os resíduos gerados pós-consumo. Foi desta forma que fomos convidados a conhecer o Centro de Reciclagem da Nespresso Brasil.

Visita ao Centro de Reciclagem da Nespresso. / Imagem: Nathália Abreu/Autossustentável

As cápsulas de café representam grande preocupação quando pensamos na quantidade de resíduos gerados pelo consumo deste produto. Os materiais usados para a produção dessas cápsulas variam de empresa para empresa, sendo usados, majoritariamente, plástico e alumínio (este último é a matéria-prima das cápsulas da Nespresso). Há também as cápsulas que começam a ser produzidas com materiais biodegradáveis.

No Brasil o mercado para café em cápsulas ainda é relativamente novo quando comparado com outros países em que esse consumo é mais difuso, como no caso de países europeus. No entanto, o descarte dessas cápsulas, quando consideramos todo mercado consumidor, acontece em grande parte de forma incorreta. Falta de estrutura de coleta seletiva dos municípios, desinformação de grande parte dos consumidores sobre a importância do descarte correto e da reciclagem, baixa aplicabilidade de logística reversa por parte das empresas comercializam esse produto (empresas fabricantes, supermercados e lojas revendedoras) são os principais motivos para o descarte incorreto das cápsulas de café.

Imagem: Zero Resíduos

Tanto a logística reversa como a coleta seletiva são instrumentos previstos pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) instituída em 2010 (para ler sobre o assunto, clique aqui). Mas o que seria a logística reversa? É a responsabilidade compartilhada entre empresas, governos e consumidores sobre a destinação correta de produtos ao final de sua vida útil. A logística reversa consiste em um conjunto de ações destinadas a facilitar o retorno dos resíduos sólidos aos seus geradores, para reaproveitamento em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada (para ler sobre o assunto, clique aqui).

Visita ao Centro de Reciclagem da Nespresso

A convite da Nespresso Brasil fomos conhecer, na última terça-feira, o Centro de Reciclagem da empresa, situado em Osasco/SP.

Centro de Reciclagem Nespresso. / Imagem: Deividi Correa

Hoje 81% dos consumidores das cápsulas de café da Nespresso possuem acesso aos pontos de coleta da empresa, mas apenas uma pequena parcela do que é consumido, 20,1%, chega ao Centro de Reciclagem da Nespresso, que possui capacidade instalada para reciclar até 3 vezes mais que o volume atual, informa Claudia Leite, gerente de sustentabilidade da empresa. As cápsulas que são destinadas ao Centro de Reciclagem são aquelas devolvidas pelos consumidores nos mais de 90 pontos de coleta da empresa.

Com relação às cápsulas que não retornam à Nespresso, justamente por ainda não existirem muitos pontos de coleta fora de São Paulo, Claudia afirma que a empresa incentiva aos consumidores que destinem às cápsulas para a coleta seletiva ou para cooperativas de catadores de materiais recicláveis para que sejam recicladas.

Questionados sobre o gap de pontos de coleta existem fora de São Paulo, a empresa informou que está investindo R$ 5 milhões em 2019 – através do plano Compromissos 2020 – para que todos os consumidores da marca tenham acesso até 2020 a soluções onde possam destinar corretamente suas cápsulas para a reciclagem.

Por que a empresa usa alumínio para produzir as cápsulas?

A opção pelo alumínio é decorrente de dois fatores. O primeiro deles é que o alumínio é o único material que consegue proteger o café de agentes externos como a luminosidade e o calor, fazendo com que o café mantenha todo seu frescor e qualidade. Além disso o alumínio é um material que possui propriedades que o permita ser reciclado infinitas vezes, podendo ser transformado em produtos como bicicletas, canetas, peças para computadores, dentre outras possibilidades.” Claudia Leite, gerente de sustentabilidade da Nespresso.

Mas como funciona o processo de reciclagem?

As cápsulas destinadas ao Centro de Reciclagem da Nespresso passam por processo de separação em um maquinário desenvolvido pela própria empresa.

Imagem: Nathália Abreu/ Autossustentável

De um lado entram as cápsulas (importante destacar que NÃO é preciso lavá-las antes de destiná-las aos pontos de coleta) ainda com café em seu interior.

Imagem: Deividi Correa

Passam por uma esteira que as leva ao processo de Descaracterização, onde as cápsulas são trituradas em pequenos pedaços. A separação mecânica dos subprodutos (café e alumínio) é realizada sem a utilização de água.

Imagem: Nathália Abreu/ Autossustentável

Após isso o pó das cápsulas segue para um destino, enquanto que o alumínio seque para outro.

Imagem: Nathália Abreu / Autossustentável
Alumínio para reciclagem./ Imagem: Nathália Abreu/ Autossustentável

O alumínio que possui até 97% de pureza, conforme afirma Claudia Leite, é encaminhado para a empresa recicladora de alumínio Latasa onde ganhará nova vida útil sendo transformado em novos produtos; enquanto o café que é extraído com até 99% de pureza segue para a empresa Biomix onde será transformado em fertilizante para plantas.

Caneta feita a partir de cápsulas de alumínio da Nespresso e Fertilizante feito a partir do café extraído das cápsulas da Nespresso. / Imagem: Nathália Abreu/ Autossustentável

A visitação ao Centro de Reciclagem Nespresso é aberta ao público, podendo ser agendada no site da empresa (para saber mais, clique aqui) mas também é possível realizar um tour virtual (para saber mais, clique aqui).

Para conhecer os pontos de coleta da Nespresso, clique aqui.

 

 

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *