Meio AmbienteSemana TemáticaTecnologia

Pesquisa da UFC transforma esgoto em energia elétrica

A nossa grande dependência energética em petróleo e em gás demandam muitas pesquisas na busca por alternativas em energia renovável para compor a matriz energética de cada país. Nessa situação, o hidrogênio surge como uma possibilidade

Por ser renovável e não poluente, o hidrogênio é um forte candidato a matéria-prima para a geração de energia elétrica e de combustível. Por aqui, inclusive, já falamos sobre o navio movido a hidrogênio. No entanto, há um forte impedimento para seu uso: a quantidade de energia externa necessária para sua produção.

Uma solução para esse problema pode estar vindo da pesquisa científica. Uma pesquisa internacional desenvolvida pela Universidade Federal do Ceará (UFC) em parceria com as universidades norte-americanas Princeton e Columbia e com o Laboratório Nacional de Energia Renovável dos Estados Unidos, vem conseguindo contornar essa situação.

A pesquisadora Fernanda Lobo, do Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental da UFC, conseguiu produzir hidrogênio e energia elétrica a partir da matéria orgânica do esgoto e sem qualquer fonte externa de energia.

Imagem: Creative Commons

Mas como funciona?

Um cubo de acrílico, com dois eletrodos, é utilizado para transformar a energia química da matéria orgânica do esgoto para produzir elétrons. Essa tecnologia se chama Bio-Eletroquímica. Os elétrons que vão de um eletrodo a outro são coletados e utilizados, por meio de um sistema de controle de energia, na geração da voltagem necessária para produzir o hidrogênio.

O estudo foi realizado ainda em pequena escala. A ideia, porém, é que a pesquisa possa viabilizar uma nova forma de ver o tratamento de esgoto, agora também como uma nova fonte de matriz energética. No entanto, o caminho até a larga escala é longo e, para que a pesquisa possa continuar são necessários apoio e recursos.

Com informações: Agência UFC

 

 

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *