Cidades SustentáveisConsumo

Você já ouviu falar no conceito do Repair Café?

O primeiro Repair Café foi criado em 2009, em Amsterdã, pela jornalista Martine Postma. A frustração que Martine sentia quanto ao desenvolvimento da cultura local baseada no desperdício e à luta contra a obsolescência programada foi o grande impulso para organizar a comunidade para o combate ao descarte.

A obsolescência programada tem sido uma grande vilã do consumo moderno e baseia-se em limitar a vida útil dos produtos. O primeiro caso de obsolescência programada registrada foi em 1920, quando empresas norte-americanas e europeias concordaram em diminuir o tempo de vida das suas lâmpadas de 2,5 mil horas para mil, forçando os consumidores a comprar mais.

O evento (e seus desdobramentos) foram registrados no documentário “The Light Bulb Conspiracy” (“A Conspiração da Lâmpada” – 2010), disponível no YouTube.

Em 2010, Martine fundou a Repair Café Foundation, que já conta com mais de dois mil locais físicos onde é possível levar desde brinquedos às bicicletas para consertar – juntos! Os locais contam com ferramentas, materiais e pessoas que possibilitam estender a vida útil de sapatos, eletrônicos, móveis e o que mais for preciso. E caso não tenha nada para consertar? Pode ajudar em outros projetos ou tomar um café.

Imagem: Sugru

No Brasil, o movimento ainda é pequeno e conta com dois lugares cadastrados no mapa, em Santos e em Porto Alegre. Porém, tudo indica que a ideia tem grande força e potencial para crescer, já que a ideia de menos desperdício e mais contato humano tem se tornado cada vez mais necessário.

De acordo com a filosofia proposta por Martine Postma, o que quebra não deve ser substituído, mas arrumado. Alguns países (como a Suíça) já oferecem impostos mais baixos para produtos que foram consertados – e não novos. Martine trabalha para que essa seja uma realidade global e espera que, algum dia, os Repair Cafés não sejam mais necessários. E afirma: “Eu não me importaria (se não fossem mais necessários). Porque, é claro, não se trata do café, mas de bens reparáveis, menos desperdício e um estilo de vida sustentável. Esse é o objetivo”.

Imagem: Wikimedia Commons

Você já ouviu falar sobre Repair Café? Gosta da ideia? Conhece outros cafés ou iniciativas semelhantes? Conta nos comentários!

 

 

Tags:

Um comentário

  1. melhor matéria que eu lí em algum tempo. grata.

Deixe uma resposta para Patricia Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *