Moda SustentávelSemana Temática

A Moda Sustentável começa com a gente: Confira 9 dicas para ter um guarda roupa sustentável!

Qualquer mudança que queiramos no mundo começa efetivamente por nós. E quando o assunto é moda sustentável, ela começa pelo nosso guarda roupa.

Imagem: Box Fashion

Mas como podemos colaborar para que o setor de moda seja mais sustentável, socialmente justo e menos impactante no meio ambiente? A primeira etapa, e diria a mais importante, é entender nosso grau de importância para a indústria da moda. Sim, nossa atitude de consumir ou não roupas, acessórios ou calçados de determinada marca, impacta sim as vendas e faturamento dessa empresa. Imagine o seguinte cenário: Você é apaixonado por roupas da marca X, tanto que sempre comenta com seus amigos e familiares e acaba até divulgando fotos usando esta marca em suas redes sociais. Agora considere a seguinte informação: foram descobertas confecções em que seus trabalhadores exerciam suas atividades em regime análogo à escravidão (trabalhavam e moravam no mesmo local; as condições de higiene eram degradantes; os locais para dormir eram pequenos, úmidos e sem ventilação; a jornada era exaustiva, a ponto de serem contabilizadas as idas ao banheiro). Imagine o quanto essas pessoas não sofrem para que a marca X continue vendendo suas peças a preços baixos. Você seria capaz de continuar consumindo as roupas da marca X?

Imagem: Vasco Gargalo

Agora imagine se cada vez mais pessoas se recusem consumir a marca X devido às condições de trabalho impelidas aos seus funcionários (vamos lembrar que terceirização não é justificativa para que situações assim ocorram), o faturamento dessa empresa cairá e uma alteração na cadeia produtiva e de valor precisará ser realizada. É claro que esse é um exemplo muito simplificado, mas é apenas para que vejamos o poder e a responsabilidade que possuímos enquanto consumidores.

Imagem: Inhabitat

Então como podemos efetivamente colaborar para uma moda mais sustentável? Precisamos repensar como nos relacionamos com as nossas roupas e acessórios, evitando o desperdício, por exemplo. Separamos algumas dicas importantes, do Caio Braz e Aline Welinsky do Plata o Plomo, de como ter um guarda roupa mais sustentável.

 

1. Apoie marcas éticas
Vamos voltar ao nosso exemplo: Você já parou para se perguntar de onde vem a roupa produzida pela sua marca favorita? Quem são seus fornecedores, de que forma a cadeia de produção se constrói; será que os preços pagos pela mão de obra e pelos materiais são justos? De que forma essa marca lida com os materiais que utiliza? Se materiais sustentáveis? Como funciona o descarte? Há um processo pós compra, como a logística reversa?

Parece muita coisa, mas se a marca tiver esse foco ela vai fazer questão de deixar isso claro para o consumidor. Uma sugestão é procurar as marcas pequenas, pois além de priorizarem as relações com fornecedores e a mão de obra local, elas não usam qualquer material.

 

2. Aplicativo Moda Livre
Desenvolvido pela ONG Repórter Brasil o app  Moda Livre, é um aplicativo gratuito que avalia o envolvimento das marcas de roupa no trabalho escravo.

Imagem: Moda Verde

O aplicativo, disponível para iOS e Android, está no ar desde 2013 e conta com mais de 70 marcas. Segundo seus criadores, o intuito do Moda Livre é fornecer informações para que o consumidor faça a escolha de forma consciente.

 

3. Atenção aos seus hábitos
Há muita boa intenção na compra de uma peça sustentável, mas todo o conceito é ineficaz se a roupa adquirida ficar jogada no fundo do guarda roupa porque não combina com o restante das suas roupas ou você não acha ocasião para usá-la.

Imagem: The Green Hub

Por isso, se você deseja mesmo construir um guarda-roupa sustentável, é preciso analisar seu estilo de vida, desapegar de maus hábitos e planejar suas compras. O que você precisa saber para ter um guarda roupa mais sustentável é o que é realmente necessário para você.

 

4. Compre roupas duráveis e de qualidade
Ter um guarda roupa sustentável nem sempre significa ter poucas roupas. Você pode, por exemplo, ter cinco calças diferentes no seu armário, mas, se elas durarem 10 anos, quantas você terá deixado de descartar durante todo esse período?

Quanto mais tempo a peça durar, menos você terá que comprar algo novo. É bom para o meio ambiente, é bom para seu orçamento.  Você pode substituir a compra de três camisas brancas baratinhas (mas que vão se acabando com o uso) pela compra de uma ótima camisa, de muita qualidade que (com o cuidado apropriado) vai durar sua vida inteira.  É pensando assim e com esse tipo de estratégia que vamos transformando o nosso jeito de consumir.

Imagem: Uma Jornada Interior

5. Compre menos e escolha melhor
Antes de comprar, tenha em mente o que realmente precisa, planeje suas compras. Assim você evita as compras por impulso.  Se questione se você realmente gostou daquela peça, se realmente irá usá-la. Se não está comprando por uma moda passageira. Questionamentos que podem fazer muita diferença no tipo de roupa que você investe e que podem transformar o seu jeito de consumir moda. Foque em comprar menos, fugindo da banalização e buscando significado no que se compra.

 

6. Cuide bem das roupas que você já tem
Muitas vezes somos descuidados com as coisas que temos e não dedicamos atenção necessária às roupas que compramos. Para que uma peça dure, é preciso que estejamos atentos à maneira que cuidamos de nossas peças.

Ler a etiqueta antes de lavar e passar, lembrar de usar guardanapo ao comer, atenção ao vinho e a roupa branca, lembrar de tirar manchas antes que fique impossível, guardar as peças mais especiais bem protegidas são algumas dicas para manter a qualidade das roupas e é um jeito bem especial de economizar.

 

7. Compre roupas vintage ou de segunda mão
A quantidade de roupa produzida anualmente é exorbitante e muita roupa antiga é descartada, ainda que em perfeito estado. Vale pesquisar e conhecer brechós e lojas online de roupas usadas. Acredite: tem muita coisa legal, num estado muito bom e por preços camaradas nesses locais.

 

8. Armário Cápsula
O conceito de armário cápsula consiste em ter um número limitado de peças de roupas que sobreviverão a qualquer tendência de moda ou passagem do tempo.

Imagem: Revista Galileu

Geralmente, um armário cápsula tem 30, 50, 60 peças, considerando inclusive sapatos e acessórios. É claro, o número varia pela sua necessidade, mas a proposta é ser o mínimo possível, o essencial.

Imagem: Veja Rio

9. Doe roupas antigas e sem uso
E o que fazer com as roupas antigas e sem uso? Quando as roupas estão em bom estado, existe sempre a alternativa de doar essas peças para alguma ONG ou instituição de caridade. Você também pode criar uma campanha de arrecadação de roupas em seu prédio, empresa, faculdade ou escola e ajudar o Exército de Salvação que doará essas roupas a pessoas que precisam.

 

Com informações de: Caio Braz, Green Me, Plata o Plomo

 

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *