Tecnologia

Energia Solar: um caminho para a sustentabilidade

Apesar de ser uma das fontes de energia mais sustentáveis do mundo, por ser renovável e inesgotável, a produção de energia solar no Brasil ainda está muito aquém do potencial que nosso país possui. De acordo com dados da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), órgão do governo responsável por realizar estudos sobre o setor energético, atualmente apenas 0,6% de toda matriz energética no Brasil provém da energia solar.

Esse dado é ainda mais alarmante quando constatamos que os piores lugares de irradiação no Brasil ainda são 30% mais eficientes para a produção de energia solar que na Alemanha, um dos maiores produtores desta fonte de energia no mundo. Em matéria veiculada recentemente pelo UOL é possível ter um importante panorama do setor no Brasil.

Parque Solar Bom Jesus da Lapa, o maior parque solar da América Latina/ Imagem: Divulgação/Antônio Pinheiro/ Reprodução: Correio 24 Horas

O aumento na capacidade instalada de energia solar pode e deve trazer inúmeros benefícios tanto do ponto de vista financeiro quanto ambiental. Com a utilização desta fonte é possível diminuir o consumo de energia termelétrica, por exemplo, que são caras e, assim, economizar na conta de luz. Casas e/ou empreendimentos que possuem energia solar fotovoltaica instalada podem gerar sua própria energia e não mais depender das geradoras e distribuidoras do país que podem em algum momento deixar de suprir toda a demanda do mercado, como já ocorreu em “apagões” há não tanto tempo atrás. Além disso, como bem explicado no portal do Sebrae, diferente dos combustíveis fósseis, o processo de geração de energia elétrica a partir da energia solar não emite dióxido de enxofre (SO2), óxidos de nitrogênio (NOx) e dióxido de carbono (CO2) – todos gases poluentes com efeitos nocivos à saúde humana e que contribuem para o aquecimento global. Por isso a energia solar é conhecida como fonte limpa. Entenda melhor como funciona a energia solar:

Dito tudo isso, é impossível não fazer o questionamento: por que produzimos tão pouco?

Além de enfrentar o forte lobby envolvido na geração das principais fontes de energia no Brasil, o custo de investimento considerável e a falta de incentivos (sejam financeiros e/ou educativos) ainda impactam muito no crescimento da produção de energia solar no país.

Iniciativas como a do Estado de Minas Gerais, que pratica a isenção de ICMS para a energia solar, bem como o fomento por parte de programas como o Indústria Solar, parceria entre instituições e empresas de Santa Catarina que tem como objetivo levar energia solar autofinanciável para indústrias de pequeno e médio porte catarinenses, são ações que buscam estimular e popularizar a produção desta fonte de energia no Brasil.

Imagem: Creative Commons

A Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), órgão que representa o setor, tem buscado promover e divulgar esta fonte sustentável de energia, pontuando sua importância no que diz respeito à preservação dos recursos naturais, atendendo as necessidades atuais sem comprometer o acesso para as gerações futuras, bem como apresentando a tecnologia disponível para diversificar a atual matriz energética, gerar economia e impulsionar negócios.

Se interessou pelo tema? O Portal Solar reúne o maior conteúdo sobre o assunto.

 

Clique aqui para ler mais artigos de Stephani Loppnow

 

 

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *