SaúdeSemana Temática

Mente Sã, Corpo São – Informação é Saúde!

Existe uma citação em latim que diz “Mens sana in corpore sano”, sendo sua tradução muito conhecida – Mente sã, corpo são. Essa citação, carregada de significados, tem tudo a ver com nossa Semana Temática da Saúde.

E por quê? Apenas um corpo saudável pode assegurar uma mente saudável, ou seja, boa saúde física é condição essencial para se ter boa saúde mental e também social. Caso queira saber um pouco mais sobre essa conexão da saúde física com a saúde mental, clique aqui.

Bem estar
Imagem: Creative Commons

Sabemos que uma boa nutrição é um dos principais fatores para termos boa saúde física. Assim, a alimentação possui grande relevância em nossas vidas.  Para entender melhor essa relação, acesse nosso post Você sabe o que está comendo? – Vamos falar de Alimentação Saudável.

Quanto menos processado e mais in natura o alimento, melhor para nossa saúde. Por isso, os alimentos adquiridos em feiras, tendo em vista nosso ritmo agitado de vida, representam as melhores opções para nosso consumo. Mas, atenção! Não é qualquer alimento, dê preferência para os alimentos livres de agrotóxicos como os agroecológicos e os orgânicos, para saber mais sobre os benefícios dos alimentos orgânicos clique aqui.

Alimentos na Feira
Imagem: Creative Commons

E tão importante quanto a escolha do melhor alimento para nossa saúde, é saber, de fato, a origem dos mesmos. Ao contrário do que muitos imaginam, devido à massiva publicidade realizada em torno do agronegócio, nosso mercado interno é abastecido majoritariamente pela agricultura familiar. São esses agricultores, muitas vezes invisibilizados pelo nosso sistema econômico, que produzem 70% dos alimentos que consumimos. De acordo com informações da SEAD (Secretaria Especial de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário), a agricultura familiar produz: 87% da mandioca, 70% do feijão, 46% do milho, 38% do café, 34% do arroz e 21% do trigo consumidos pela população brasileira. Ela ainda é responsável por 60% da produção de leite, além de 59% do rebanho suíno, 50% das aves e 30% dos bovinos consumidos pelo mercado interno. Para saber quem são os agricultores familiares no Brasil, clique aqui.

Agricultores familiares
imagem: Ariquemes Agora

Além do papel decisivo na cadeia produtiva que abastece o mercado brasileiro, a agricultura familiar possui grande relevância sócio-econômica. Isto porque constitui a base econômica de 90% dos municípios brasileiros com até 20 mil habitantes; respondendo por 35% do PIB (Produto Interno Bruto); e absorvendo 40% da PEA (População Economicamente Ativa) do país.

Desta forma, 84,4% dos estabelecimentos rurais são de base familiar e ocupam 74,4% da mão de obra que está no campo. Contudo, as propriedades familiares representam apenas 24,3% de toda a área rural do país. E o que isso significa? A limitação do espaço ocupado pelas terras voltadas ao cultivo familiar é prejudicial tanto para os agricultores familiares quanto para nós, os consumidores. Para os agricultores essa limitação sócio-espacial compromete a viabilidade financeira desses estabelecimentos, já que a escala de produção se torna um problema estrutural. E para nós consumidores, essa limitação impacta diretamente em nosso bolso, uma vez que, os alimentos produzidos pela agricultura familiar têm grande peso no controle da inflação dos mesmos.

Agricultura Familiar
Gráfico: SEAD

Perceberam como é primordial para nossa saúde, sabermos a origem do que consumimos em nossa alimentação? Procurem se manter informados sobre a agricultura familiar e sobre a situação do agricultores familiares em nosso país, pois é dela que vem a maior parte dos alimentos que consumimos diariamente. Vocês podem começar essa jornada procurando se informar sobre a agricultura familiar em sua cidade ou estado.

Com informações de: EMBRAPA, Portal do governo e SEAD.

 

 

 

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *