Moda SustentávelSemana TemáticaTecnologia

Tecnologia Têxtil: a fibra de Sumaúma

Para dezenas de tribos indígenas a samaúma ou mafumeira é sagrada, cultuada como a mãe da Humanidade. Trata-se da mais alta árvore da Amazônia, chegando a 65 metros. Sua copa grandiosa abriga um pequeno ecossistema. A planta tropical é nativa do México, América Central e norte da América do Sul, mas também pode ser encontrada no Sudeste Asiático e África.

Para a indústria têxtil e de vestuário, a sumaúma pode ser uma verdadeira revolução tecnológica e sustentável. A sua fibra pode ser encontrada nos frutos secos da Sumaúma, é, atualmente, considerada uma das fibras mais sustentáveis. Ela possui uma estrutura muito parecida com o algodão, mas de fibra oca.

A startup têxtil chinesa Flocus produz misturas de fios sustentáveis, tecidos e recheios para travesseiros e almofadas feitos com a fibra da sumaúma, com grande valor agregado, já que a fibra é natural e reciclável. Sua fibra tem toque macio e sedoso, tem ação antibacteriana, é resistente a mofo e à proliferação dos ácaros e é termorreguladora.

A única desvantagem é que, por enquanto, a fibra ainda não é adequada para se produzir um tecido com 100% fibras de sumaúma. No entanto, pode-se misturar com outros materiais, como o algodão e economizar grandes quantidades de água virtual.

Ao se misturar com algodão, apenas 30% de fibras de sumaúma, pode economizar 3 mil litros de água para cada quilo de algodão. Um número bastante expressivo e que vem a cada ano, aumentando com as pesquisas sobre o material.

A quantidade de água que você pode economizar misturando a fibra do algodão com fibra de sumaúma.

A startup tem o objetivo de reduzir a presença de produtos sintéticos no mercado, utilizando uma alternativa completamente natural. No fim de 2015, a Flocus recebeu o prêmio da Performance Days por seu tecido de sumaúma ter sido escolhido o mais inovador e ecológico entre quase 850 outros tecidos.

É ou não uma incrível inovação tecnológica e sustentável da indústria têxtil?

Com informações de: Flocus, Stellini e Stylo Urbano

 

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *