ConsumoMeio AmbienteSemana Temática

Dia Mundial da Água – Por que precisamos preservar esse recurso?

Hoje, dia 22 de março é o Dia Mundial da Água. Data criada em 1992 pela Organização das Nações Unidas (ONU). A data é um esforço da comunidade internacional para colocar em pauta questões essenciais que envolvem os recursos hídricos.

Estima-se que, somente no Brasil, 17 milhões de pessoas são privadas do direito à água; no mundo todo, este drama atinge 2,1 bilhões, de acordo com o último Relatório Mundial das Nações Unidas sobre Desenvolvimento dos Recursos Hídricos.

O Brasil possui mais água doce que qualquer outro país do mundo – 12% do volume total do Planeta. Isso cria uma falsa premissa de que o suprimento estável de água de boa qualidade estará sempre disponível.

Imagem: Creative Commons

Segundo o Instituto Trata Brasil, 83% dos brasileiros são atendidos com abastecimento de água tratada. O acesso está diretamente ligado às desigualdades regionais. Enquanto no Sudeste, por exemplo, o acesso à água potável chega a 91,24% da população, no Norte este percentual é de 55,37%.

Apesar destes 83% de brasileiros atendidos, existe uma grande variedade de riscos relacionados a água, o que representa uma grande incerteza na disponibilidade de água doce para a população e comprometem a universalização do serviço.

Poluição dos corpos hídricos, má utilização, o furto de água e o consumo descontrolado da água, além de fatores climáticos que acarretam crise hídrica, afetando diversas regiões do país e, aumentando a restrição de água nos estados e municípios, com rodízios e racionamento por parte da população.

Brasília – Lago da barragem de Santo Antonio do Descoberto, que abastece boa parte das cidades satélite da capital, está com o nível de água bem abaixo do esperado (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

O direito humano a água e saneamento foi reconhecido pela ONU em dezembro de 2015, uma vez que eles são indispensáveis para prover meios de subsistência saudáveis e fundamentais para manter a dignidade de todos os seres humanos.

Assim, o consumo consciente de água é uma preocupação que deve ser constante, uma cultura que deve ser firmemente incutida no comportamento social, até mesmo como atitude preventiva contra um colapso de abastecimento que a cada dia se mostra mais factível.

Sobradinho – A Usina Hidrelétrica de Sobradinho tem capacidade total de 1050 megawatts, mas com a falta de água só tem sido possível gerar cerca de 160 megawatts (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

O Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 6 (ODS 6), proposto pelas Nações Unidas, visa assegurar a disponibilidade e o manejo sustentável da água e do saneamento para todos.

Nesse contexto, o papel dos governos e das agências de água é focado no estabelecimento de políticas e regulamentos. Já o setor privado desempenha um papel fundamental neste cenário ao investir em tecnologias e soluções inovadoras, além de possuir um papel de grande influenciador na sociedade, com o potencial de gerar uma mudança de comportamento dos indivíduos e uma conscientização em relação ao uso eficiente da água, podendo ter uma forte influência sobre a formulação de políticas.

 

Com informações de: Metro Jornal, ONU e ONU

 

 

 

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *