CulturaMeio AmbienteUrbanidade

O Caminho para a Sustentabilidade Chinesa – Saiba como o país está investindo na área!

A China tem realizado progressos significativos na mitigação da crise ambiental provocada pela formação histórica e cultural. O Império do Meio tem sua terra sendo cultivada intensamente há mais de 8.000 anos! Os impactos cumulativos desta exploração de recursos naturais aliados às práticas agrícolas ineficientes causaram pobreza generalizada e degradação ambiental no princípio de 1900.

Cenário Apocalíptico

No século XX, inundações, secas e outras catástrofes afetaram a maioria da população do país, incluindo a Grande Fome Chinesa de 1959 a 1961, que causou entre 20 milhões e 45 milhões de mortes. Após a reforma econômica de 1978 e diante deste cenário, o governo estabeleceu 6 programas de sustentabilidade. No entanto, com condições modestas de investimento a terra continuava a se deteriorar.

2. Grande Fome’ de Mao Tsé-tung
Imagem do período que ficou conhecido como a Grande Fome de Mao Tse Tung. / Imagem: Creative Commons

Na década de 1990, a cobertura florestal natural estava abaixo de 10% e cerca de 5 bilhões de toneladas de solo erodiam anualmente, causando problemas significativos de sedimentação e qualidade da água. No Planalto de Loess, as partes mais afetadas estavam perdendo 100 toneladas de solo por hectare a cada ano por conta da erosão, e o Rio Amarelo que fluía por ele tinha a duvidosa honra de ser a hidrovia mais turva do mundo. Os solos agrícolas estavam esgotados e a produtividade diminuía, as áreas de gado tinham excesso de pastagem e mais de um quarto da China era desertificada.

1. Yellow River
Água poluída e lixo se misturam na margem do Rio Amarelo em Lanzhou, China. / Imagem: Aaron Jaffe / Circle of Blue

Entre 1990 e 2000, a China sofreu uma série de desastres naturais causados ​​pela gestão insustentável da terra, incluindo a seca do Rio Amarelo em 1997, as enchentes do Rio Yangtze em 1998 e as tempestades de poeira que afligiram Pequim em 2000.

Esforço Monumental

A emergência era tamanha que a partir de 1998, a China intensificou dramaticamente seu investimento no setor de sustentabilidade, incluindo o lançamento de 11 novos programas. O portfólio incluiu programas icônicos, como o Programa de Grãos (Grain for Green Program), o Programa de Conservação de Florestas Naturais e o Programa Three North Shelter belt Program, que visava retardar e reverter a desertificação, plantando uma zona verde de amortecimento de 4.500 km.

3. Desertificacao
Terra Desertificada na China. / Imagem: Greentumble.com

Os programas também incluem medidas como a melhoria dos meios de subsistência, pagando aos agricultores para implementarem ações sustentáveis em suas terras. Na China, incentivo financeiro é uma das maneiras eficientes de criar mudanças de comportamento. Outro importante fator foi o fornecimento de habitação e trabalho não agrícola nas cidades em expansão da China, isso também impulsionou a renda familiar e reduziu a pressão sobre a terra.

4. Three North Shelter belt Program
Programa Three North Shelterbelt Forest em Qipanshan, distrito de Ping Lu, cidade de Shuozhou, Província de Shanxi. / Imagem: Chinese National Forestry and Grassland Administration

Mais de 350 bilhões de dólares foram investidos nestes programas abordando mais de 620 milhões de hectares (65% da área terrestre da China). Esse esforço, embora imperfeito, é globalmente incomparável. Os 16 programas de sustentabilidade introduzidos até hoje tem como objetivo:

  • Redução da erosão, sedimentação e inundação nos rios Yangtze e Yellow (Rio Amarelo);
  • Conservação de florestas no nordeste da China;
  • Diminuir a desertificação no norte seco e no sul rochoso do país;
  • Reduzir o impacto das tempestades de poeira na capital, Pequim;
  • Aumentar a produtividade agrícola no centro e leste da China.

O Resultado

Após 20 anos, os resultados desses programas foram extremamente positivos. O desmatamento diminuiu e a cobertura florestal dobrou, ultrapassando 22%. Os campos de pastagens também se regeneraram. As tendências de desertificação se inverteram em muitas áreas e, embora impulsionadas principalmente pela mudança climática, os esforços de restauração ajudaram.

6. Pequim
Partes do distrito empresarial no Centro de Pequim, coberto por partículas de areia. / Imagem:: Nicolas Asfouri / AFP Photo

A erosão do solo diminuiu substancialmente, qualidade da água e a sedimentação dos rios melhoraram dramaticamente. Os sedimentos do Rio Amarelo caíram em 90% e o Yangtze não fica muito atrás. A produtividade agrícola aumentou através de ganhos de eficiência e avanços tecnológicos. As comunidades rurais estão em melhor situação agora e a fome desapareceu em grande parte.

5. Water Conservation Forest
Water Conservation Forest Project em Yongheguan, Condado de Yonghe da Província de Shanxi. / Imagem: Chinese National Forestry and Grassland Administration

Dito isto, também houve consequências não intencionais. O reflorestamento onde árvores nunca cresceram secou os recursos hídricos e levou a altos índices de fracasso nas plantações. Mas, para dar crédito aos esforços, o vasto investimento deu grandes passos na sustentabilidade da população rural e do mundo natural.

Lições da Experiência da China

Não pretendo fingir que a China é o melhor exemplo na área de sustentabilidade. A poluição muito séria do ar, da água e dos solos, a expansão urbana, o desaparecimento das zonas úmidas costeiras e o comércio ilegal de animais silvestres ainda cobrem a nação mais populosa do mundo. Também é preciso tomar cuidado para não transferirmos os problemas domésticos chineses para o exterior.

Embora o contexto do país seja único, a China tem um caminho definido, um objetivo comum a ser alcançado e ações efetivas sendo implementadas. Em contrapartida, me parece que o governo brasileiro se recusa admitir as devastações naturais do nosso país e de se comprometer com a sustentabilidade como um investimento público em larga escala e de longo prazo. Como apresentei acima e nos meus últimos artigos (A China é capaz de solucionar a crise de poluição do ar?; e Desafios da Sustentabilidade na China) o Presidente Chinês Xi Jinping tem claramente traçado um caminho para a sustentabilidade e uma civilização ecológica, e o nosso presidente? O que anda fazendo?

 

assinatura_Maria_Eduarda

 

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *