Meio AmbienteSemana TemáticaTecnologia

IoT – Internet of Things: um caminho para a sustentabilidade

Você já ouviu falar sobre IoT – Internet of Things (Internet das Coisas, em português)? Sabe o que é a IoT e como ela pode ser uma importante ferramenta para a sustentabilidade? Nessa matéria mostraremos como a tecnologia vem ajudando a tornar a sustentabilidade mais presente no cotidiano.

Mas antes vamos a uma breve explicação sobre a IoT!

O termo IoT – Internet of Things foi criado há 20 anos (Sim! Em 1999!) por  Kevin Ashton, um pesquisador britânico do MIT (Massachusetts Institute of Technology), que fazia parte da equipe de pesquisadores que descobriu como conectar o mundo real ao digital através da identificação por radiofrequência (RFID).

A IoT é um termo usado para objetos que normalmente não seriam conectados à internet por não possuírem essa característica como a principal, ou seja, a IoT se aplica, por exemplo, a uma geladeira cuja principal característica seria refrigerar e conservar alimentos e deixar bebidas geladas, a um automóvel cuja papel essencial é transportar o condutor e passageiros a um determinado local, a um aspirador de pó que inicialmente foi criado para realizar a aspiração de sujeira e poeira. Esses equipamentos e muitos outros já podem ser encontrados nas versões com IoT, na qual podem realizar algumas ações sem que seja necessária a interação física de uma pessoa.

Imagem: VirtuEyes

Como bem explica Neil Patel, a IoT – Internet das Coisas é um conceito que define a conexão entre objetos físicos com o usuário e a internet, através do uso de sensores inteligentes, como Bluetooth e GPS, além de softwares, empregados na coleta e transmissão de dados para a rede, permitindo controlar aparelhos diversos por dispositivos móveis.

Essa tecnologia pode chegar a 20 bilhões de dispositivos até 2020! Mas até lá alguns problemas como a segurança dos dispositivos conectados à rede (não são poucos os relatos de ataques de hackers) e a energia elétrica para manter o funcionamento dos computadores de alta performance, o que chamamos de nuvem (mas isso é assunto para uma outra matéria) precisam ser resolvidos.

1. Internet of Things e Poluição do Ar

A poluição do ar é um dos temas mais graves da emergência climática que estamos enfrentando, justamente por ser o principal fator de risco ambiental para a saúde em todo o mundo. Para ser ter uma ideia da gravidade do problema, nove em cada dez pessoas em todo o mundo respiram com altos níveis de poluentes. Por isso, o assunto foi tema do Dia Mundial do Meio Ambiente deste ano (para saber mais, clique aqui).

Imagem: APROBIO

Nessa realidade de grandes cidades e metrópoles com a qualidade do ar cada vez mais comprometida entra em cena a IoT – Internet das Coisas para medição e controle dos poluentes e a consequente melhoria da qualidade do ar através do uso de infraestrutura “mais inteligente” ou mesmo soluções simples. Pode-se observar exemplos dessas medidas respectivamente em Paris, que está expandindo suas zonas livres de carros, e Tóquio, que está investindo na diversificação das fontes de energia por meio do uso das renováveis, como a energia solar e a eletrólise. Além disso, há cidades que realizam o monitoramento de tráfego para ajudar na questão da poluição do ar, e outras que estão implementando o que vem se denominando como “legislação verde” e enquanto outras estão retomando a criação de espaços verdes em meio aos grandes centros.

Uma das cidades que vem utilizando com sucesso a IoT para combate à poluição do ar – o uso dessa tecnologia permite a construção de uma base de dados sobre poluição muito mais eficaz e condizente com a realidade que os métodos tradicionais – é cidade de Uppsala, na Suécia, através do projeto GreenIoT. Esse projeto consiste na criação de solução integrada onde um sistema de sensores ambientais efetuam o monitoramento da poluição do ar em tempo real por meio de sensores sem fio em veículos de transporte público. Esses dados são então repassados para órgãos governamentais que fazem uso dos mesmos para auxiliar a condução de políticas públicas como o o planejamento da cidade através do redirecionamento do tráfego de áreas altamente poluídas para outras.

A IoT também vem sendo utilizada para a criação de estacionamentos inteligentes que buscam reduzir o tráfego nos grandes centros por meio da identificação de vagas para estacionamento vazias, fazendo com que o motorista circule menos com o carro em busca de uma vaga – o que além de diminuir a emissão de CO2, reduz o tempo utilizado nessa tarefa, o dinheiro gasto em combustível e o fluxo do trânsito.

2. Internet of Things e Smart Lighting (Iluminação Inteligente)

Um dos principais usos da IoT visando à sustentabilidade é para controlar a iluminação e evitar desperdícios desnecessário de energia. Com os sistemas de iluminação que utilizam IoT é possível otimizar o uso da eletricidade em prédios com sensores que reproduzem os ciclos de luz natural e conservam energia. Esses sensores são capazes de detectar quando determinado ambiente, como uma sala, por exemplo, está vazio, desligando as luzes; e também ajustam a intensidade da iluminação de acordo com a luminosidade natural do ambiente.

Imagem: Vector Security

A IoT também pode ser utilizada para otimizar a iluminação pública. A iluminação inteligente conta com postes inteligentes que utilizam o mesmo mecanismo da iluminação interna de prédios que ajusta a iluminação com base nas condições naturais além de disporem da infraestrutura essencial para a implantação de outras aplicações como, por exemplo, monitores de qualidade do ar, gerenciamento de tráfego e câmeras de segurança.

3. Internet of Things e Smart Water (Uso Inteligente da Água)

A IoT também pode ser utilizada para o uso inteligente da água através do monitoramento das previsões meteorológicas locais e controle da drenagem para reduzir os casos de inundações, melhorar o escoamento de águas pluviais ou minimizar danos a propriedades. Para tal os sensores de IoT precisam ser instalados junto às infraestruturas de gerenciamento de água, ou junto aos sistemas de encanamento, neste último a função da IoT corresponde a alertar os proprietários sobre possíveis vazamentos ou até mesmo desligar o fornecimento de água para evitar inundações.

4. Internet of Things e Smart Waste (Resíduos Inteligentes)

A gestão de resíduos é outro importante tema relacionado à preservação do meio ambiente, à promoção da saúde da população e gerenciamento de ações para a promoção da sustentabilidade. E por isso empresas e cidades devem possuir um bom planejamento sobre o descarte de seus resíduos, e nesse ponto a IoT também se mostra como grande aliada como já observado em países europeus. Lá as latas de lixo das ruas são conectadas por meio de IoT às empresas de gerenciamento de resíduos e emitem um alerta quando estão cheias, dessa forma, os coletores (correspondente aos garis aqui no Brasil) são enviados para a coleta de resíduos apenas quando necessário, evitando viagens desnecessárias, reduzindo o consumo de combustível e diminuindo o congestionamento das ruas e a emissão de CO2. A IoT também pode ser utilizada para indicar aos consumidores os locais onde se localizam as latas de lixo que recolhem resíduos para a reciclagem, assim como identificar melhor quais materiais podem ser reciclados.

Imagem: Honest Version

5. Internet of Things e Smart Grids (Redes Inteligentes)

Através da utilização da IoT os sistemas se conectam de uma forma que as empresas podem gerenciar não só a distribuição de energia mas também podem redirecioná-la durante as interrupções, como, por exemplo, em apagões, evitando maiores transtornos e perdas econômicas. A IoT também permite aumentar a eletricidade distribuída com base na oferta e na demanda, especialmente quando estão envolvidos recursos renováveis, como energia eólica, solar ou hidrelétrica.

Imagem: Smart Energy International

As smart grids também otimizam o funcionamento da prestação de serviços, as empresas prestadoras desses serviços podem, por exemplo, através da IoT saber de interrupções no serviço antes mesmo dos clientes reportarem, e também realizar a manutenção antes que algum equipamento falhe. A aplicação de IoT aos distribuidores de energia e aos clientes representa eficiência e economia de energia.

 

Essas aplicações da IoT estão sendo testadas e aplicadas em países europeus e em países como Japão e Estados Unidos onde a pesquisa, a ciência e a edução são entendidas como áreas estratégicas para o crescimento e desenvolvimento dos países. Enquanto isso aqui no Brasil…

 

Com informações de: Dealer Support, IoT Agenda, Neil Patel, Tech Tudo

 

 

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *