Meio AmbienteSemana TemáticaUrbanidade

Você usa transporte público? Vem saber como essa escolha é decisiva para o planeta

A forma mais eficiente e mais sustentável para realizar os deslocamentos nas cidades (sejam dentro de uma mesma cidade ou entre cidades) deveria ser o transporte público.

Estamos vivendo uma situação em que os efeitos das mudanças climáticas estão cada vez mais intensos, tanto que diversas cidades e instituições mundo a fora já declararam estado de emergência climática.

Imagem: Creative Commons

Mas o que é essa emergência climática? Emergência climática é a resposta dada por várias instituições à necessidade de mitigação imediata da intensificação dos impactos das mudanças climáticas.

Você pode estar pensando: “Ah! Mas isso é tão distante da minha realidade…”. Infelizmente, isso não é verdade. Cada vez mais sentimos os efeitos das mudanças climáticas no Brasil, e o pior, como carecemos de infraestrutura em muitos lugares do país, os impactos são ainda maiores. Um bom exemplo da intensificação das mudanças climáticas pode ser percebido no regime de chuvas. Em vários estados do país a temporada de chuvas vem apresentando maior volume e intensidade, causando impactos tanto ambientais como sociais (vítimas fatais, pessoas que ficaram desabrigadas…).

Vista aérea de Olinda após fortes chuvas © Reprodução/TV Globo. Mortes de pessoas por deslizamento de terras em função de fortes chuvas em Recife é mais um triste alerta da necessidade de adaptação das cidades aos impactos do aquecimento global – Reportagem: Greenpeace.

Um dos vilões para a aceleração das mudanças climáticas é a emissão de gases de efeito estufa (GEE) como o CO2 (dióxido de carbono), tão comum na combustão de veículos movidos a combustível fóssil (como, por exemplo, a gasolina e o diesel). Em 2018, o setor de transporte respondeu por 25% das emissões globais de CO2, como informado em reportagem da Agência Brasil – EBC.

Entre os modais que mais contribuem com as emissões de dióxido de carbono, os carros leves lideram com 45% do volume emitido. Em seguida, aparecem os caminhões, responsáveis por 21% das emissões de CO2, os aviões e navios, ambos com 11% das emissões, ônibus e micro-ônibus representam 5%, triciclos e motocicletas 4% e os trens figuram com 3%.

Trecho do Transport and Climate Change Global Status Report (Relatório Situação Global do Transporte e Mudança Climática Global, em tradução livre) [1] – Agência Brasil – EBC).

Mas podemos contribuir para melhorar esse cenário optando por usar transporte público para nos locomovermos pelas cidades. Com essa simples atitude você será capaz de [2]:

  1. Reduzir consideravelmente as suas emissões diárias de CO2, o que deixará sua pegada de carbono [3] no planeta menos impactante, colaborando para a mitigação dos efeitos das mudanças climáticas.
    Imagem: Creative Commons
  2. Contribuir para a redução dos tão comuns e estressantes engarrafamentos, diminuindo o tempo gasto em transportes de modal rodoviário.
    Imagem: Creative Commons
  3. Ter maior segurança nos deslocamentos, já que estará menos exposto a possíveis acidentes de trânsito.
  4. Usar o tempo gasto no percurso em atividades enriquecedoras como a leitura de um bom livro.
    Imagem: Creative Commons
  5. Aproveitar esse espaço e tempo para socializar com os demais passageiros, afinal, sustentabilidade também inclui o bom convívio entre as pessoas.

Viu como pequenas atitudes diárias podem fazer a total diferença para nossas vidas e para o planeta?

[1] Para baixar o Relatório Situação Global do Transporte e Mudança Climática Global, clique aqui.
[2] BERTUCCI, Jonas de Oliveira. Os Benefícios do Transporte Coletivo. Boletim regional, urbano e ambiental. IPEA, 2011. Para acessar, clique aqui.
[3] A “pegada de carbono” (carbon footprint) mede o total das emissões de gases de efeito estufa causados diretamente e indiretamente por um indivíduo, organização, evento ou produto. Fonte: MMA.

 

 

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *