ConsumoUrbanidade

Um terço de tudo que você compra vai direto para o lixo

O Brasil é um dos 10 países que mais desperdiça comida no mundo. São cerca de 26,3 milhões de toneladas de alimentos vão para o lixo todos os anos. E os principais ingredientes que compõem o tradicional prato do brasileiro – arroz e feijão (38%), carne (20%) e frango (15%) – são os mais desperdiçados.

Atualmente, perdemos ou desperdiçamos aproximadamente um terço de todo o alimento que é produzido globalmente. São cerca de 310 bilhões de dólares anuais perdidos somente nos países em desenvolvimento.

Ao desperdiçarmos toneladas de alimentos diariamente, contribuímos para a degradação econômica e social do nosso país, prejudicando a saúde de milhões de pessoas, cidadãos que sofrem com a insegurança alimentar e a irracionalidade do desperdício.

E, esse desperdício está em todo o lugar, ao longo de toda a cadeia de produção. Ele passa pelos produtores rurais, transportadoras, comerciantes e a casa de cada um de nós. No Brasil o desperdício é assim distribuído:

Imagem: Autossustentável
  • 10% de todo o desperdício ocorre na colheita, como a eliminação de produtos deformados;
  • 50% ocorre no manuseio e transporte, com o uso de embalagens inadequadas durante o transporte e distribuição – frutas, legumes e verduras são empilhados em caixas retangulares que quase nunca conseguem deixar os alimentos intactos, elas amassam os que estão em baixo, arranham e machucam os alimentos;
  • 10% ocorre nas centrais de abastecimento (CEASAS), com descarte de alimentos que não passam no controle de qualidade, uma vez que somente os “melhores” produtos são escolhidos pela indústria;
  • 30% são diluídos entre supermercados e consumidores, como o descarte de produtos próximos da data de vencimento pelos varejos e o não aproveitamento integral dos alimentos por parte dos consumidores.

Para atingir a sustentabilidade e reduzir a insegurança alimentar no mundo, é fundamental melhorarmos a gestão do desperdício. A Agenda 2030 estabelece como um dos objetivo do ODS 12, a redução pela metade do desperdício de alimentos per capita nos níveis de varejo e consumidor.

Imagem: ONU

Assim, adotando medidas simples pode-se economizar e combater o desperdício de alimentos do momento da compra até o preparo.

  • É necessário planejar as compras; olhar a despensa e a geladeira, pensar em cardápios semanais e, organizar uma lista com alimentos que serão, de fato, utilizados no consumo, podem ajudar muito neste processo.
  • Prefira os alimentos da época, assim temos a garantia de consumir frutas, legumes, verduras e raízes com melhor qualidade (maior durabilidade, maior teor nutricional e menor quantidade de defensivos agrícolas), além de apresentarem preços mais acessíveis.
  • Armazene os alimentos em locais limpos e em temperaturas adequadas para cada tipo de alimento, prestando atenção nas orientações impressas na embalagem.
  • Frutas, verduras, legumes, cascas, entrecascas, talos, sementes e folhas devem ser lavados, um a um, em água corrente – somente depois devem ser higienizados em solução de hipoclorito de sódio.
Imagem: Creative Commons
  • No momento do preparo seja criativo! Sempre que possível, procure aproveitar também as partes não convencionais dos alimentos (cascas, entrecascas, folhas, talos e sementes), que são, normalmente, descartadas, sem que as pessoas associem este descarte como um desperdício.
  • Prepare apenas a quantidade necessária para as refeições da família. Faça uma média da quantidade de porções por pessoa. E, caso haja sobras, armazene-as em geladeira para utilizar em outras refeições.

Com informações: Instituto AkatuONU e TV Cultura

 

 

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *