Cidades SustentáveisConsumoEducação

O que você faz com o lixo gerado no dia a dia? Confira dicas para lidar com os resíduos!

Você já reparou na quantidade de lixo que produzimos diariamente? São sobras de comida, dezenas de embalagens, rejeitos do processo produtivo de todo tipo de item que utilizamos, dos mais simples, como bebidas consumidas, até os mais complexos como automóveis ou eletrodomésticos. E todo esse rejeito, todos esses resíduos precisam de uma destinação final, ou seja, devem ser descartados de alguma maneira.

Estima-se que, em média, apenas de resíduo sólido cada pessoa produza cerca de 1,3 kg por dia. Para entender melhor o que é resíduo sólido e quais os tipos, clique aqui. O mais recente Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil da Abrelpe (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais), de 2018, indica que naquele ano o país gerou 79 milhões de toneladas de lixo, sendo que mais de 40% foram descartados em locais inadequados. Este mesmo panorama mostra que o crescimento na geração de lixo também tem crescido mais rápido do que a infraestrutura necessária para lidar com o problema, confira mais informações, clicando aqui. Em matéria do Estadão é possível saber um pouco mais sobre isso, clique aqui para saber mais.

Imagem: Creative Commons

Então qual é o seu papel nisso tudo? Preste atenção em apenas um dia na sua rotina: a quantidade de plásticos que acompanha os alimentos, as embalagens dos produtos de higiene, os restos das refeições, isso sem falar na quantidade de água utilizada na limpeza de pratos, talheres e roupas, que também são descartados e precisam de destinação correta! Ou seja, cada um de nós é parte do problema e tem responsabilidade sobre o tema.

Determinados tipos de resíduos são altamente poluentes e alguns inclusive perigosos para o meio ambiente como um todo. Desde 2011 o Brasil possui uma Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que determina a forma com que o país lida com o lixo, cobrando dos setores públicos e privados transparência no gerenciamento de seus resíduos. E é nosso dever enquanto cidadão cobrar a atuação do governo, mas precisamos também ajudar a construir uma consciência mais sustentável. (Para saber um pouco mais sobre a importância da PNRS, confira a matéria “Você sabe o que é a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) e como ela impacta diretamente na reciclagem?”)

Imagem: Creative Commons

O que podemos fazer para contribuir? Confira algumas das ações que cada um pode adicionar na sua rotina:

  1. Reduzir o consumo de produtos;
  2. Dar preferência para produtos recicláveis e reciclados;
  3. Evitar o desperdício,
  4. Reaproveitar ou reutilizar materiais;
  5. Fazer a separação correta do lixo possibilitando a reciclagem de materiais;
  6. Realizar compostagem doméstica.

Se você tiver interesse, há uma plataforma que visa criar um espaço democrático e multifuncional para mobilização social e disseminação de conhecimento em gestão sustentável de resíduos sólidos e suas repercussões climáticas, cumprindo a função de difusão das informações para a sociedade e para os técnicos envolvidos nesta área. Lá você encontra módulos de ensino à distância que podem interessar. Clique aqui e saiba mais.

Imagem: Creative Commons

O blog Meu Resíduo divulgou algumas curiosidades a respeito do tema que nos fazem entender ainda mais a importância dessa conscientização sustentável.

De acordo com o site:

  • 1 tonelada de papel reciclado economiza 10 mil litros de água e evita o corte de 17 árvores adultas;
  • A reciclagem de uma única lata de alumínio economiza energia suficiente para manter uma TV ligada durante três horas;
  • 100 toneladas de plástico reciclado economiza 1 tonelada de petróleo;
  • Para produzir 1 tonelada de papel é preciso 100 mil litros de água e 5 mil KW de energia enquanto para produzir 1 tonelada de papel reciclado, são usados apenas 2 mil litros de água e 50% da energia.

Você tem feito a sua parte?

Referências: Estadão, G1, Meu Resíduo, MMA, Rede Asta, Teach4Waste.

 

 

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *