Educação

Educação e Sustentabilidade Financeira: entenda a importância do Planejamento

Estamos em um momento perfeito para falar sobre dinheiro, você não acha? O momento da prova dos nove, do teste. Você estava preparado para enfrentar este momento? Seu financeiro tinha sustentabilidade para suportar um momento como este? Pois é, sustentabilidade não tem a ver apenas com o nosso habitat, mas também com a forma como vivemos nele. Cada decisão afeta o todo de algum modo e por isso, quando dizemos que buscamos uma vida sustentável, estamos falando de todos os aspectos, inclusive do financeiro.

As placas de venda em porta de estabelecimentos comerciais estão pipocando em todas as cidades. Muitos comerciantes que, antes da Covid-19, já estavam pensando em como resolver sua situação financeira, perceberam que esta se tornou inviável. Os profissionais liberais que dependiam de atendimento presencial ficaram sem chão. Famílias estão optando por mudar para um apartamento mais barato. Estamos passando por uma crise sanitária com sérias consequências financeiras.

Imagem: Creative Commons.

O momento mexeu no cerne dos orçamentos de todos, mesmo aqueles que possuíam um controle financeiro tiveram que fazer adequações. Ninguém esperava um momento como este. Mas há pessoas que estão conseguindo se reinventar e outras que se mantiveram estáveis neste momento. O que elas têm de diferente? O que fizeram para conseguir? Sorte? Muito dinheiro em caixa? Nestas horas somos pegos facilmente pela raiva e deixamos de prestar atenção nos exemplos que poderiam nos inspirar.

O dinheiro simboliza para muitos o suor e esforço de um mês todo de trabalho. É algo que precisamos respeitar, cuidar, guardar. Depois de tanto esforço, desperdiçar meu rico dinheirinho? Não! Por outro lado, ele também se tornou nossa compensação: já que nos esforçamos tanto, agora merecemos algo muito bom, ainda que custe caro.

Imagem: Creative Commons.

Os problemas que ele traz são, na verdade, uma consequência do modo como o utilizamos (com ou sem sustentabilidade). É comum a falta de controle, a confusão entre dinheiro pessoal e dinheiro do negócio próprio (ao não separar vida financeira pessoal da vida financeira de negócios) e as concessões em favor do nosso bem estar. Nesse momento de reavaliação e “mea culpa”, percebemos exatamente onde estava o furo da nossa contabilidade. Faltou planejamento, faltou visão de longo alcance, faltou acreditar que poderia acontecer algo inesperado. Ou seja, tínhamos uma vida financeira insustentável a longo prazo. Ponto.

Uma ferramenta importantíssima que nos auxilia a ter controle e a garantir a sustentabilidade de nossa vida financeira é o planejamento. Colocar na ponta do lápis, sabe? Está valendo aplicativo e planilha de Excel. Também ainda vale um bom e velho livro caixa. Você deve estar se perguntando: “Tem certeza que isto é necessário?”. Sim, afinal, quem não é visto não é lembrado, e isso serve para os seus gastos e também para os seus sonhos.

Imagem: Creative Commons.

O planejamento não é apenas anotar suas entradas e saídas e ter seu fluxo de caixa. Planejar é entender suas decisões, como, por exemplo, “Por quais motivos eu mantenho um gasto elevado com um escritório próprio?”; “Qual razão me fez comprar aquele presente caro?”; “O que me faz gastar uma parcela do dinheiro que eu sei que não deveria?”.

Planejamento é perceber como você:

  • gerencia seus recursos financeiros;
  • fixa metas de gastos;
  • pensa sobre as entradas e se elas se manterão;
  • imagina cenários futuros: se tudo correr bem e também se não correr bem (se você conseguirá manter meu salário, mas também, se planejará para o caso de perder o emprego);
  • pensa em seus sonhos, ou seja, como você programa os passos que precisará dar até alcançá-los, criando as condições para que eles aconteçam.
Imagem: Creative Commons.

Planejar ajuda a ter um relativo controle e segurança nestes momentos. Afinal, todos já sabem o que farão quando o primeiro milhão chegar. Mas quantos planejaram o que fazerem momentos de crise? Planejar significar ter uma preparação em algum nível. E mesmo que não tivéssemos condições de prever algo da magnitude que ocorreu com a economia, ao menos já teríamos pensado em como resolver uma situação de desemprego, por exemplo. Já podemos sentar com a família e pensar o que é realmente importante e o que pode ser cortado nesse momento. Além da nossa responsabilidade pessoal, muitas vezes ainda somos responsáveis pela vida de familiares, empregados e suas famílias. Quanto mais planejarmos, menos pesada a carga da responsabilidade se tornará.

Conta pra gente como você percebe a sustentabilidade financeira. Dinheiro e sustentabilidade fazem sentido para você?

 

 

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *