ConsumoMeio AmbienteSaúde

Salvando o Planeta com sua Skincare (+ Receitinha de Tônico Facial)

A indústria de cosméticos convencionais é uma das poucas que cresce mesmo em meio às diversas crises financeiras que o mundo atravessou. O Brasil é o quarto maior mercado de beleza e cuidados pessoais do mundo, movimentando mais de US$ 30 bilhões em 2018 nas vendas do varejo. “Maravilhoso!”, você pode pensar, “As pessoas estão se cuidando mais, mesmo com a crise.”. No entanto, sinto dizer que essa notícia não é tão boa assim.

Os impactos da indústria cosmética na saúde e no meio ambiente conseguem ser muito maiores que seus lucros estratosféricos. Começamos com o uso indiscriminado de embalagens plásticas descartáveis (xampu, condicionador, cremes, maquiagens…). Junto com as garrafinhas pet de água, essas embalagens são algumas das mais presentes nas “ilhas de poluição”. Elas são usadas por pouquíssimo tempo e não possuem um plano de reutilização ou reciclagem. Nos oceanos, facilmente são transformadas em microplástico, aderindo a tecidos corporais de diversas formas de vida. Os microplásticos já podem ser encontrados até mesmo no sal de cozinha, em órgãos humanos e, pasmem, no gelo da Antártida.

Mar de lixo no Caribe, entre as costas de Honduras e Guatemala. / Fonte: Caroline Power/ BBC Brasil.

Além da poluição ambiental, os cosméticos convencionais também possuem o potencial de prejudicar a saúde humana diretamente. Várias substâncias com nomes quase impronunciáveis na lista de composição são derivadas de petróleo, possuem metais, conservantes e outros compostos sintéticos que podem estar ligados, em casos mais extremos, ao câncer de mama, por exemplo. Muitos são bioacumulativos, ou seja, o corpo não consegue metabolizar ou eliminar, então eles permanecem no corpo, obstruindo poros, prejudicando o desenvolvimento das células, gerando doenças.

Mas é possível cuidar dos cabelos, da pele, dos dentes e ficar com cheirinho bom sem precisar encher o planeta e o nosso corpo de poluição. A cosmetologia natural vem ganhando um espaço cada vez maior entre as pessoas mais conscientes e que buscam uma forma mais sustentável de viver. Ela resgata saberes e produtos conhecidos por nossas avós, mas com um toque de tecnologia e inovação.

Imagem: Creative Commons.

A saboaria artesanal, os perfumes botânicos, xampus e condicionadores sólidos, maquiagens com corantes vindos de frutas, sementes e raízes. Todos eles oferecem soluções naturais e criativas para reduzir o uso de plástico e de matérias-primas sintéticas e poluentes. Embalagens de tecido (algodão), papel, celofane biodegradável ou a fabricação de produtos sólidos, inclusive, hidratante e desodorante, são alternativas inovadoras e que têm o potencial para diminuir o descarte.

Imagem: Creative Commons.

Mas nem tudo são flores! A manipulação de produtos naturais exige bastante conhecimento teórico e técnica. Não é porque algo é natural que não pode trazer malefícios, como reações alérgicas. O uso de ervas e, principalmente, óleos essenciais deve ser sempre acompanhado por um especialista (fitoterapeuta, aromaterapeuta, etc) que saiba a posologia ideal para cada caso. Por exemplo: boa parte dos óleos essenciais é contra indicada para gestantes e bebês. São substâncias extremamente concentradas, que devem ser diluídas de forma apropriada para não se tornarem tóxicas em vez de benéficas.

Também deve-se observar que produtos naturais possuem validade bastante reduzida quando comparados aos sintéticos. Isso é algo bom, mas muitas vezes é visto como ponto negativo. O verdadeiro “ponto negativo” da cosmetologia natural de ponta é ser ainda pouco acessível financeiramente. Seus produtos, na maioria das vezes, são formulados com ativos em concentrações bem mais elevadas que os industrializados. Isso aumenta os efeitos benéficos, mas encarece a produção. É preciso ter a mentalidade de que optar por cosméticos mais naturais, que nutrem o corpo e contribuem para a saúde humana e ambiental são, antes de tudo, um investimento numa vida melhor, assim como escolher uma alimentação mais saudável.

Imagem: Creative Commons.

Esta que vos escreve embarcou nesse mundo desde 2017 e posso dizer que foi uma das melhores escolhas que tomei em prol do meu futuro e do planeta. Além de utilizar, também faço minhas próprias fórmulas (engenharia química também pode ser verde, olha só!). Vou deixar uma de presente aqui para vocês. Aproveitem!

Receita Caseira de Tônico Facial Calmante e Clareador Sem Álcool

  • 150 ml de chá de camomila concentrado
  • 80 ml de água
  • 1 pepino
  • 10 ml de vinagre de maçã orgânico
  • 10 ml de glicerina vegetal (fácil de encontrar em farmácias)
  • 25 gotas de óleo essencial (sugestão: copaíba, palmarosa, melaleuca, vetiver, olíbano). Obs: Lembrando que os óleos essenciais não devem ser usados por gestantes e lactantes.

Bata o pepino com os 80 ml de água no liquidificador até obter uma textura homogênea. Espere o chá de camomila esfriar e misture com o vinagre de maçã. Adicione os óleos essenciais à glicerina e então junte ao restante da mistura. Guarde em recipiente limpo e fechado, preferencialmente na geladeira.

Como não pode ser utilizado por mais de uma semana, já que não possui conservantes, uma boa dica é dividir com as amigas e os amigos para não desperdiçar e deixar todo mundo com a pele bonita. Aplique com sua ecopad (disco de algodão reutilizável) para diminuir a geração de lixo.

Lembra do alerta sobre os óleos essenciais? Se você é gestante ou lactante, aproveite o tônico, mas sem adicioná-los. Eles não são aconselhados para esse momento.

 

 

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *