Cidades SustentáveisMeio AmbienteTecnologia

Energias Renováveis como caminho para a Igualdade de Gênero

Observando o cenário global de energia, estamos vivenciando uma mudança rápida e abrangente de fontes de energia. A transição energética de combustíveis fósseis para a adoção das energias renováveis. Essa transformação pode trazer consigo grandes mudanças sociais, ambientais e econômicas como a inserção massiva de empregos na área.

A Agência Internacional de Energias Renováveis (IRENA) estima em suas pesquisas que o número de empregos no setor pode aumentar de 10,3 milhões em 2017 para quase 29 milhões em 2050 [1]. Esse crescimento abre um leque de oportunidades para profissionais de diversas habilidades e talentos. Pensando nessas oportunidades, o setor de energias renováveis pode abranger maior participação das mulheres, ao mesmo tempo em que asseguraria a distribuição socialmente justa de oportunidades socioeconômicas.

Imagem: Unplash.

As energias renováveis ​​andam de mãos dadas com todos os 17 ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) e podem ter um grande impacto se usadas da maneira certa. Especialmente os ODS relacionados ao o acesso a fontes de energia fiáveis, sustentáveis e modernas (ODS 7), à igualdade de gênero e empoderamento (ODS 5), e o crescimento inclusivo e trabalho decente (ODS 8) que carregam entre si uma grande interligação [1]. Porém, é necessário que esses objetivos sejam alcançados com inclusão, igualdade e equidade entres gêneros, pois a energia é útil não em si, mas para fornecer bens e serviços, incluindo emprego e meios sustentáveis de subsistência.

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Fonte: [2]
Hanitsch [3] cita que “a desigualdade de gênero é um dos principais problemas para o combate no século XXI. A desigualdade de gênero não é apenas uma questão de direitos humanos, mas principalmente um desperdício de potencial humano no mundo, como muitas mulheres não podem viver a vida em sua plenitude. As energias renováveis ​​podem empoderar as mulheres porque aumentam os direitos substantivos e processuais, visto que as mulheres são vistas não apenas como detentoras de direitos, mas também como parceiras essenciais e atores do desenvolvimento. As mulheres podem ser independentes, contribuindo para a família, renda e bem-estar. Isso permite que elas usem suas diversas habilidades, beneficiando o mundo tanto social quanto economicamente. As energias renováveis ​​têm a capacidade de desempenhar um papel significativo nessa luta e fortalecer sua autoestima”.

Neste contexto, a IRENA lançou em 2019 um relatório contendo resultados de uma pesquisa sobre energia renovável com a perspectiva de gênero. O relatório “Energia Renovável: uma Perspectiva de Gênero” destaca os seguintes pontos [1]:

  • As respostas dos participantes da pesquisa mostram que 75% das mulheres e apenas 40% dos homens, percebem a existência de barreiras à entrada e ascensão das mulheres no setor;
  • A pesquisa apresenta também uma lacuna semelhante sobre a igualdade salarial ao longo das linhas de gênero: 60% dos entrevistados do sexo masculino assumem igualdade de remuneração entre mulheres e homens contra apenas 29% das entrevistadas;
    Imagem: Creative Commons.
  • Maior diversidade de gênero traz co-benefícios substanciais, concluiu a pesquisa;
  • As mulheres trazem novas perspectivas para o local de trabalho e melhoram a colaboração, enquanto o aumento do número de mulheres qualificadas na liderança de uma organização produz um melhor desempenho geral;
  • No contexto do acesso à energia, o envolvimento das mulheres como agentes ativos na implantação de soluções de energia renovável fora da rede é conhecido por melhorar a sustentabilidade e maximizar os benefícios socioeconômicos;
  • A pesquisa da IRENA revela que o acesso moderno à energia reduz a carga de trabalho pesado, melhora o bem-estar e libera tempo para mulheres e meninas buscarem educação e se engajarem em atividades geradoras de renda;
  • As mulheres estão em uma posição ideal para liderar e apoiar o fornecimento de soluções de energia em áreas isoladas da rede elétrica, especialmente em vista de seu papel como usuárias primárias de energia dentro de casa e em suas redes sociais.
Fonte: [4]
A partir disso, percebemos que os investimentos em energias renováveis ultrapassam as questões técnicas, mas emerge no campo social promovendo a sustentabilidade e uma sociedade mais justa, ofertando o empoderamento de meninas e mulheres.

Referências:

 

 

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *