Meio AmbienteSemana Temática

#VireCarranca – Um Velho Chico Para Todos

Por mais um ano, a Autossustentável apoia e vira carranca para defender o Velho Chico.

A campanha “Vire Carranca” em defesa do Velho Chico é uma mobilização do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF) e tem o objetivo de conscientizar a população sobre a preservação do Rio São Francisco e mobilizar todos pelo uso responsável dos seus recursos hídricos.

Neste dia 03 de junho celebra-se o Dia Nacional em Defesa do Rio São Francisco cujo propósito é reforçar em todo o território da Bacia a importância de um rio vivo e ativo.

O tema desse ano é “Velho Chico para Todos”. Afinal, o Velho Chico é importante para todos, pois quem vive, quer água. O objetivo é chamar a atenção de que, para assegurar os usos múltiplos, é necessária a proteção dos recursos hídricos, através do Pacto das Águas, é prioritária.

Uma das diretrizes da Lei Nº 9.433, a Lei das Águas, é justamente garantir o uso múltiplo das águas, de maneira que todos os setores usuários tenham igualdade de acesso aos recursos hídricos.

Mas de quem é o Velho Chico?

Seria da população ribeirinha? Do agronegócio? Do turismo? Da geração de energia? Das indústrias, da pesca, da fauna e da flora?

Imagem: Divulgação – CBHSF

O rio São Francisco é um dos mais importantes cursos d’água do Brasil e de toda a América do Sul. De sua nascente, na Serra da Canastra (MG), até a foz, no Oceano Atlântico, entre Alagoas e Sergipe, o Rio São Francisco percorre 2.700 Km, levando a água que dá vida ao Semiárido. Ele corre por 521 municípios em 5 estados (Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas). Além disso, sua bacia hidrográfica ocupa porções de três biomas: Cerrado (de Minas Gerais ao oeste e sul da Bahia), Caatinga (nordeste baiano) e Mata Atlântica (no Alto São Francisco, principalmente nas cabeceiras).

A Bacia do Rio São Francisco é o responsável por 70% da água doce do Nordeste e de boa parte do estado de Minas Gerais. O Velho Chico alimenta a vida e a esperança dos 18 milhões de brasileiros que dependem direta ou indiretamente de suas águas, seja para o abastecimento público, para a agricultura, as indústrias, a geração de energia, navegação, pesca e aquicultura, turismo e recreação, entre outros.

Cânions do Rio São Francisco. Imagem: Creative Commons

O rio ainda possui o quinto maior cânion navegável do mundo – o Cânion do Xingó. Com lindos paredões rochosos esculpidos naturalmente, com a ação do clima e dos ventos, há mais de 60 milhões de anos, formam uma impressionante paisagem dominada pelo verde da água em contraste com o alaranjado dos paredões.

E o que é esse “Pacto das Águas”?

O “Pacto das Águas” sugere que a União, os estados, os municípios e os comitês de bacias hidrográficas incorporem a questão dos recursos hídricos da bacia do São Francisco em sua vida política e institucional.

É a proposição de ações coordenadas para prever a distribuição da água da bacia do São Francisco garantindo a sua qualidade, quantidade e o uso racional e democrático das suas águas, evitando conflitos, além de estabelecer compromissos e ferramentas de monitoramento e revisão ao longo do tempo.

Assim, com planejamento é possível garantir água de qualidade e em abundância para quem produz, para quem pesca, planta, visita, gera energia e para quem vive lá!

#VelhoChicoParaTodos. Para quem usa hoje e para quem vai usar amanhã.

Para mais informações sobre a campanha, acesse: http://virecarranca.com.br

 

 

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *