Cidades SustentáveisMeio AmbienteSemana Temática

Você sabe qual é a Taxa de Reciclagem de alguns resíduos que produzimos?

Por ano, são gerados no Brasil quase 80 milhões de toneladas de lixo. Deste total, 92% são coletados, mas isso não garante que todo esse material receba a destinação ambientalmente adequada, pois parte desses resíduos ainda é enviada para os lixões, impactando diretamente no meio ambiente e na saúde da população.

Dos resíduos gerados, apenas 3% são destinados à reciclagem no Brasil. O número está bem abaixo da média mundial, de 9%. Segundo a Abrelpe (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais), cerca de 12 milhões de toneladas de resíduos sólidos acabaram descartados no meio ambiente em 2020.

Somente de plásticos são 6 milhões de toneladas. Papel ou papelão representam 4,7 milhões. Vidro (1 milhão) e alumínio (185 mil) também aparecem entre os principais materiais não reaproveitados.

A reciclagem é um dos gargalos da Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei Federal 12.305/2010), que completou 11 anos. Com isso, o Brasil perde R$ 14 bilhões todos os anos com o descarte incorreto do lixo reciclável e uma oportunidade gigantesca de criar novos empregos – força de trabalho adicional que seria necessária para coletar, separar e recuperar a fração de recicláveis em todo o país.

O aumento de volume de material reciclado abriria a possibilidade de novos mercados, novos serviços e produtos. Ao fomentar a reciclagem, se reduz a demanda de matérias-primas nas indústrias, diminui o impacto ambiental de aterros e lixões e atenua a pressão pela abertura de novas áreas para este fim.

PLÁSTICO

O volume de plástico reciclado pós-consumo produzido no Brasil em 2019 foi de 838 mil toneladas, indicando um índice de reciclagem de 24%, segundo estudo comandado pela MaxiQuim, empresa de avaliação de negócios na indústria química com foco em análise de mercados e competitividade.

Dos diversos tipos de plásticos produzidos no Brasil, o PET é o que apresenta o maior índice de reciclagem, chegando a 51% do total produzido. No entanto, o volume de plástico produzido no Brasil é muito expressivo para o baixo índice de reciclagem deste produto: 13,5% do total de resíduos produzidos anualmente no país são de plásticos, o equivalente a 10,5 milhões de toneladas.

VIDRO

Durável, inerte e podendo ser reciclado infinitas vezes, sem perder suas características e qualidades. Assim, permite-se poupar matérias-primas naturais, como areia, barrilha, calcário etc. Ao ser reciclado ele gera 90% de economia energética em relação à produção de vidro novo.

No entanto, menos de 50% das embalagens de vidro são recicladas no Brasil. O baixo custo de produção a partir da matéria-prima e o baixo valor agregado deste produto para os catadores e cooperativas de reciclagem, tornam o vidro um material com pouco investimento que incentivam sua reciclagem.

PAPEL

Segundo o Indústria Brasileira de Árvores (IBÁ), o índice de recuperação de papel atinge 66,9% do total de papel consumido no país passível de reciclagem, o que faz do Brasil um dos maiores recicladores de papel do mundo.

A reciclagem envolve uma cadeia que começa na separação, passando pela coleta, triagem e preparação do material recolhido que, em seguida, é encaminhado à indústria para que seja transformado em nova matéria-prima. Na reciclagem, há redução no consumo de energia, do uso de água e na emissão de poluentes quando comparado com o papel virgem.

EMBALAGENS LONGA VIDA

A embalagem longa-vida, também chamada de cartonada ou multicamadas, é composta de camadas de papel, polietileno de baixa densidade e alumínio. Seu percentual de reciclagem, em 2020, foi de 42,7%.

Em média, mais de 70% do material das embalagens é proveninentes de fontes renováveis, que podem ser recicladas várias vezes. Quando reaproveitados e combinada a outros polímeros podem dar origem a novos produtos como telhas ecológicas, bancos de jardim, canetas, porta-chaves, etc.

LATAS DE ALUMÍNIO

A cadeia de reaproveitamento de latas de alumínio no país é referência mundial. No último ano, o Brasil reciclou 31,16 bilhões de latas de alumínio que entraram no mercado, o que representa 97,4% das latinhas, segundo a Associação Brasileira do Alumínio e da Associação Brasileira dos Fabricantes de Latas de Alumínio (Abralatas).

O número é resultado de uma série de fatores como mercado de reciclagem já estabelecido em todas as regiões do país; facilidade na coleta, transporte e venda e; o alto valor da sucata de alumínio, que gera renda para milhares de famílias de catadores envolvidos.

LATAS DE AÇO

Cerca de 47% do total das latas de aço consumidas no Brasil são recicladas. Isso representa quase 200 mil toneladas de latas de aço pós consumo retornando para o processo de fabricação de novo aço.

No índice geral de 47% incluem-se latas de alimentos como ervilha, milho, achocolatados, leite em pó e sardinha, tintas, massa corrida e outros produtos. Na Europa, países como Alemanha e Bélgica reciclam mais de 90% de todas as latas de aço.

 

Com informações: CEMPRE

 

 

Gostou do nosso conteúdo e quer fazer referência deste artigo em um trabalho?
Saiba como colocá-lo nas referências:

SOUZA, L. B. Leonardo. Você sabe qual é a Taxa de Reciclagem de alguns resíduos que produzimos?. Autossustentável. Disponível em: https://autossustentavel.com/2021/11/taxa-reciclagem-residuos.html.

Tags:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *