Alimentação

Chocolate: Vilão ou Mocinho?

Com a proximidade da Páscoa, é praticamente inevitável ficar imune a ele, que ganha destaque principalmente nessa época do ano, com diversas opções de tamanhos, formas, sabores, recheios e preços, e que é quase uma unanimidade no quesito doce: o inigualável chocolate. Queridinho de muitos, ele também é tido como inimigo de vários, principalmente para aqueles que estão em dieta e/ou para os querem manter a boa forma. Mas calma! Ao segundo grupo tenho uma boa notícia, o chocolate pode não ser esse vilão todo, pelo contrário, ele, ou melhor, a base e principal componente do chocolate, o cacau, pode trazer diversos benefícios para a saúde.
 Na Espanha do século XVI, as cozinhas dos mosteiros serviram como local de experiência para o aprimoramento do chocolate e a criação de novas receitas. Os monges aperfeiçoaram o sistema de torrefação e a moenda do chocolate, transformando-o em barras e tabletes para serem dissolvidos em água quente, como era apreciado nos salões aristocráticos. Fonte: Para entender a história…
Não por acaso os relatos do consumo de chocolate datam de aproximadamente de 1500 a.C., em que era utilizado e conhecido como alimento para a celebração, contemplação e comunhão com os deuses sendo usado por sacerdotes e membros da nobreza devido as suas propriedades e considerado por várias civilizações antigas, como os Maias e os Astecas como sagrado. Felizmente, com o passar do tempo e graças à Revolução Industrial e a invenção de diversas máquinas tornou-se possível a produção em massa, que fez com que os produtos ficassem mais baratos e acessíveis a todos, como ocorre hoje.
O cacau é considerado um dos alimentos funcionais mais importantes na nutrição, riquíssimo em antioxidantes e em diversas vitaminas, minerais, cobre, magnésio, manganês, potássio, ferro, fósforo e flavonoides, ele é capaz de elevar a qualidade da saúde do coração, e ainda é ótimo para o bom humor, afinal, quem consegue ficar triste com um delicioso chocolate, não é mesmo? Segundo estudos, as diversas sensações obtidas ao se ingerir o chocolate se devem a liberação da endorfina (hormônio relacionado ao bem estar), que estimulam a produção de serotonina (um neurotransmissor que atua no cérebro regulando o humor, sono, apetite, ritmo cardíaco, temperatura corporal, sensibilidade a dor, movimentos e as funções intelectuais), promovendo o combate a ansiedade e a depressão, aliviando o estresse e estimulando também os centros de bem estar e de prazer.
Autossustentável: Benefícios do Chocolate
Para maiores informações acesse: Chocolate e os Benefícios Cardiovasculares
No coração, ele ajuda a manter a pressão arterial normal e os bons níveis de colesterol, além de ter ação preventiva contra as doenças cardiovasculares. Pesquisas comprovam que cacau age como um anti-inflamatório natural e ainda retarda efeitos do envelhecimento, devido a presença de flavonoides que atacam os radicais livres, sendo usando até mesmo no combate ao câncer. Como se não bastasse, o chocolate também é um alimento energético, afrodisíaco e atua na proliferação de neurônios no sistema nervoso, agindo como estimulante cerebral, devido a cafeína presente em sua composição.
Ótimas razões para não fugir dessa delícia, não é mesmo? Porém, para aproveitarao máximo todos esses benefícios mencionados acima, alguns pontos importantes devem ser levados em consideração, como a quantidade de açúcar, gorduras e, principalmente, a concentração de cacau na formulação do chocolate. Assim, os mais indicados são os chocolates amargos e meio amargos, em especial, os que possuem concentração a partir de 55% de cacau.
Autossustentável: Tipos de Chocolate
A regra é simples: quanto mais claro e mais doce o chocolate for, maior a quantidade de açúcares e gorduras que ele apresenta e menor seus benefícios a saúde. Vale lembrar que o chocolate branco não leva sequer cacau em sua composição, apenas sua manteiga, que nada mais é do que a sua parte com maior concentração de gordura, então, fique atento ao seu consumo. Para os diabéticos atenção redobrada, pois o chocolate diet, para compensar a ausência do açúcar, possui maior adição de gordura, o que o torna menos saudável e muito mais calórico. Aos intolerantes ao glúten e a lactose, existem no mercado a opção de chocolates a base de soja, sem esses ingredientes alergênicos, que podem ser ótimas alternativas se levados em conta a relação do cacau e os demais ingredientes da composição.
Como já dizia o velho ditado, “a diferença entre o remédio e o veneno é a dose”, moderação e equilíbrio é a chave de todo o sucesso, como sempre. Nada consumido em excesso é benéfico para a saúde, então, nada de usar os benefícios do cacau como desculpa para exagerar na Páscoa, okay!?
Autossustentável: Moderação no Consumo de Chocolate
Até porque, o consumo exagerado do chocolate pode gerar uma série de complicações com a saúde, como alergias, aumento do colesterol e de erupções cutâneas devido ao nível elevado de gordura no sangue, irritação da mucosa do estômago e do intestino gerando desconforto, gases, diarreias, dores de cabeça, ganho de peso, além de agitação e insônia devido à presença de cafeína.
Portanto, agora que você já conhece os benefícios e os riscos para a saúde oriundos do excesso do consumo do chocolate, avalie as opções utilizando nossas dicas e faça escolhas mais conscientes nesse mar de opções para aproveitar sua Páscoa de forma mais leve, saudável e sem preocupação e ainda como bônus uma turbinada na saúde, no humor e na estética.

Clique aqui para ler mais artigos de Patrícia Oliveira
Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *