AlimentaçãoUrbanidade

Entenda o que é agroecologia e como a horta da sua escola pode seguir seus princípios

Para você que têm ou quer ter uma horta em sua escola ou instituição, a agroecologia te ajuda a ter uma relação mais sustentável e ecológica com o cultivo de alimentos. Você já ouviu falar sobre isso?

Agroecologia é uma abordagem agrícola que tem como enfoque a sustentabilidade ecológica dos sistemas de produção. Na prática, se traduz como uma maneira sustentável e resiliente de produção de alimentos, que respeita e valoriza as relações com a natureza e com todos os seres vivos, incluindo os serem humanos direta e indiretamente envolvidos. Ela busca reproduzir os padrões naturais, destacando as integrações entre espécies e fomentando o equilíbrio do sistema, cuidando e recuperando os solos sem o uso de qualquer agrotóxico, fertilizante químico ou transgênicos.

Apesar de ser um sistema aparentemente mais complexo e utilizado em cultivos de maior escala, seus princípios podem (e devem) ser aplicados nas hortas das escolas, independente do seu tamanho. Além de uma produção mais sustentável e que otimiza o uso de recursos, aumenta o potencial pedagógico desse espaço rico de possibilidades.

Imagem: Governo do Estado do Tocantins

1) Diversidade na horta: ao invés de plantar uma espécie em cada canteiro ou vaso, busque combinar diferentes tipos num mesmo espaço. Plantas diversas cultivadas juntas podem se ajudar e ainda melhoram o solo.

2) Cobertura do solo: é muito importante manter o solo da sua horta agroecológica sempre coberto com folhas secas. Essa simples técnica irá protege-lo de chuvas fortes, evitar que a água evapore rápido mantendo-o mais úmido e também adubá-lo a medida que as folhas se degradam.

Imagem: Creative Commons

3) Compostagem: a agroecologia fala bastante em não trazer recursos de fora do sistema e aproveitar o que têm disponível. Para que comprar adubo (mesmo que natural), se é possível produzi-lo de maneira simples compostando os resíduos orgânicos gerados na sua escola?

4) Saberes tradicionais:  não limite o conhecimento sobre a horta aos professores ou profissionais técnicos. Abra espaço para os saberes tradicionais e para pessoas que não costumam ter seu conhecimento valorizado no ambiente escolar. Convide e envolva as famílias, a comunidade do bairro e os demais funcionários da escola para participar e contribuir com esse projeto.

5) Relacionamentos na horta: as pessoas são parte fundamental em uma horta agroecológica. Ela precisa ser inclusiva e valorizar o diálogo, respeito e parcerias, fortalecendo e construindo novas relações. Quem decide sobre o que plantar e como colher? Quantas e quais pessoas estão envolvidas em seu cuidado? Ela fomenta diferentes parcerias ou causa discórdias e brigas? Uma boa estratégia é, por exemplo, a criação de uma comissão para que as principais discussões e decisões sejam realizadas no coletivo.

Imagem: Prefeitura de João Pessoa

Uma horta na escola é muito mais do que apenas um local ou sistema de produção de alimentos, é verdadeira sala de aula ao ar livre. Aprendem-se conteúdos de ciências, matemática ou geografia de maneira significativa e prática por meio da horta, além de desenvolver competências essenciais para a formação integral dos alunos. Mas mais que isso, ela reflete quais valores e relacionamentos são promovidos dentro e fora dela. O que sua escola tem cultivado?

Para saber mais:

 

 

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *